LIKE

Low Tech Continuação

Por definição, um aquário considerado Low-Tech (baixa tecnologia) é um sistema montado considerando a resistência de certas plantas em relação a luz, a introdução de CO2 e fertilização do aquário através de substrato-fértil ou fertilizantes líquidos. A aplicação desses padrões requerem um certo conhecimento por parte do aquariofilista em relação a quais plantas que serão utilizadas, já que existem uma infinidade de plantas que requerem atributos diferentes, umas conseguem-se manter sem CO2, porém necessitam de uma iluminação média, outras não precisam de tanta luz mas gostam de um substrato-fértil, dentre outros fatores delineadores.


Se pensa em montar um aquário low-tech, o cálculo de luz utilizando a medida de Watts por litro, não segue nenhuma regra fixa, mas para ser considerado aquário Low-Tech, o ideal é que o valor ronde abaixo de 0,6 W/L e que as lâmpadas tenham no mínimo 6500k de temperatura.
A injeção de CO2 é outro parâmetro geralmente ignorado num aquário Low-Tech, plantas como anúbias, microsorums em geral dão-se bem sem CO2 injetado de forma artificial no sistema, porém a injeção de CO2 mesmo que por sistema caseiro ou pressurizado, são interessantes para o desenvolvimento das plantas, porém não são obrigatórios no low-tech.
Por fim, a utilização de fertilizantes líquidos ou de substrato-fértil é quase sempre inexistente, já que ideia é que as plantas se sustentem apenas com os elementos macro e micro que estão presentes na água, que são re-introduzidos ao sistema através das TPAs (mudanças períodicas de água).


Por não ter luz abundante, injeção de CO2 metódica e fertilizantes a evolução das plantas torna-se mais lenta, o aquário conseqüentemente vai demorar mais do que o normal para “engrenar”, podendo as plantas nos dois primeiros meses mostrarem sinais evidentes de aclimatação, como também pode ocorrer um leve surto de algas castanhas devido a pouca iluminação presente no aquário, para evitar/diminuir surtos deste tipo, é sempre bom utilizar plantas flutuantes com as salvíneas no começo da montagem, já que as mesmas são excelentes reduzidoras de nitratos e a maioria dos componentes excedentes não-absorvidos pelas plantas.

Os aquários low-tech podem não contar com o TOP de tecnologia que está ao alcance dos aquariofilistas hoje em dia, porém os resultados podem ser comparáveis a um aquário high-tech se os fatores forem respeitados e as escolhas em termos de flora e fauna forem acertadas.


(http://www.aqualize.com.br/forum/viewtopic.php?f=14&t=207)

  Se gostou do post clique em Gosto!

(by Aquahobbie)





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...